MAU HÁLITO NOS ANIMAIS

O MAU HÁLITO DOS ANIMAIS

Chamamos de bafo de onça, de tigre e até mesmo de cão quando nos referimos à halitose, isto é, ao mau hálito.
Existem diversas causas, desde o hálito normal (mas nem por isso cheiroso) do cão ou do gato, aos problemas dentários ou da cavidade oral, às doenças respiratórias ou digestivas, ou à presença de um corpo estranho preso na boca (ex: um osso).

O animal deve ser examinado por um veterinário para diagnosticar a origem do mau hálito.
Algumas situações necessitam de uma intervenção imediata:

- Os abcessos devem ser tratados com medicação e em alguns casos, é necessária a extração dentária ou tratamento num veterinário especialista em odontologia.

- Os tumores da cavidade oral devem ser removidos cirurgicamente e encaminhados para histopatologia (para identificar o tipo de tumor).

- Em caso de doença respiratória ou digestiva, o veterinário vai realizar o diagnóstico e recomendar o tratamento específico.

- Se a causa for um corpo estranho, o animal pode apresentar grande desconforto, passando as patas na boca e salivando muito. Em geral, ocorre uma inflamação local e basta retirar o objeto, mas pode ser necessária anestesia para examinar a boca e retirar o objeto.

A gengivite e a periodontite, causas mais comuns, costumam ser motivadas pela presença de tártaro (cálculo dentário) nos dentes. O cálculo dentário é resultado da formação da placa bacteriana, tornando a superfície dos dentes propensa ao depósito dos minerais da saliva no dente. O aspecto, nos casos mais severos, parece de limo na pedra.

Algumas bactérias são patogénicas (causadoras de doenças) e podem migrar para outras partes do organismo causando infecções graves por exemplo, nas válvulas cardíacas, ou rins.

É fundamental manter a boca dos animais saudável. Para realizar a limpeza dos dentes com presença de tártaro é necessário anestesiar o animal. É frequente o proprietário ter medo da anestesia e optar por não realizar a limpeza. O risco de complicações causadas pelo tártaro é muito importante, não é só uma questão de “aguentar o bafo de esgoto”.

Se a causa for o tártaro, basta realizar a limpeza e em seguida fazer a manutenção através da escovagem dos dentes.
É muito mais fácil acostumar os filhotes do que os adultos a esta prática.

Comece aos poucos, somente com o dedo indicador servindo de escova, durante 1 a 2 minutos. Repita várias vezes, elogie, faça carinho e ofereça petiscos. O passo seguinte é usar uma gaze enrolada no dedo. Repita várias vezes, sempre elogiando e acariciando-o. Se o seu animal não estiver a aceitar, pare e recomece mais tarde.

Quando ele estiver acostumado ao dedo com gaze, comece a usar uma escova de cerdas macias e de tamanho apropriado ao seu animal. NUNCA use pasta de dentes para uso humano, além de fazer muita espuma e possuir um gosto forte, pode causar irritação gástrica.

Existem pastas de dentes, anti-sépticos, brinquedos e biscoitos (que ajudam na limpeza dos dentes) específicos para animais, nos veterinários e nas petshops. Experimente diferentes pastas de dentes até achar uma que ele goste.