QUANDO O GATO SE LAMBE EM EXCESSO - ALOPÉCIA PSICOGÉNICA
  • ALOPÉCIA PSICOGÉNICA

QUANDO O GATO SE LAMBE EM EXCESSO

Lamber-se em excesso, ou Alopecia Psicogênica, em gatos é bastante comum e deve ser tratada.

Essa lambidela compulsiva em gatos é um problema relacionado com o stress, e pode ser classificado como um comportamento obsessivo compulsivo. O ato de se limpar e lamber o pelo é uma atividade que faz parte do comportamento diário de um gato normal e tranquilo. Por isso, parece bastante natural que, quando o gato fica stressado, se tente acalmar através de uma atividade relaxante como essa e acaba fazendo-a compulsivamente.

Uma simples mudança do ambiente do gato, como um novo membro da família ou outro animal na casa, mesmo sendo um gato, mudança de casa, mudança de empregada ou mesmo da rotina da família, pode causar um certo stress no gato e fazer com que comece a desenvolver esse comportamento.

Esta conduta pode assumir desde a forma de uma simples lambidela compulsiva, até ao arrancar do pêlo em tufos. As áreas mais comummente afetadas são o interior das coxas, a barriga, nas costas, laterais da barriga e na virilha.

A primeira coisa que deve fazer é levar o gato ao veterinário. É importante afastar a hipótese de uma doença para a perda de pêlo e aparente coceira como sarnas, fungos, alergias, infestação por pulgas, infeções de pele e mesmo algumas doenças hormonais.

Afastadas todas as causas de alergia, inclusive de alergia alimentar, temos que encontrar a causa do stress e eliminá-la, na medida do possível. Muitas vezes a fonte de stress já foi removida, mas o gato já adquiriu um comportamento compulsivo que faz com que ele se continue a mutilar.

Temos que manter a rotina do gato o mais próximo da normalidade verificando se ele se alimenta normalmente, se continua a brincar e a fazer exercício e se fica menos tempo ocioso.

Fornecer ao seu gato um ambiente rico e estimulante é muito importante. Se o gato fica muito tempo sozinho em casa pode deixar a televisão ligada ou arranjar um aquário para ele se distrair. Quando está em casa, reserve sempre tempo para brincar com ele.

Muitas vezes o veterinário poderá receitar um medicamento para diminuir a ansiedade. O objetivo desse tratamento é geralmente medicar o gato até que o comportamento compulsivo diminua ou desapareça e depois ir diminuindo a dose do medicamento gradualmente.

Se vir o gato desenvolver esse comportamento na sua frente procure não o punir ou dar-lhe “uma recompensa” (atenção especial, um brinquedo, um biscoito…), desvie apenas a atenção dele. A recompensa ou mesmo a punição, pode ser para o gato, uma forma de chamar a sua atenção e assim poderá continuar a fazer isso, somente para tê-lo por perto.